quarta-feira, 15 de abril de 2009

Resposta


Eu também me pergunto porque deixei transparecer tanto...
Afinal, não justifica o mais belo quadro diante de um cego.

Às vezes me sinto tola por ter sido tão clara,limpa, perseverante...
Outr’ora, sinto-me realizada, pela primeira vez eu me permiti, eu não deixei nada passar. talvez a afobação tenha sido inimiga, contudo a escolha não foi minha,
as vezes se faz necessário brincar de ‘tudo ou nada’

Sinto tanta falta daquele rapaz... sinto curiosidade de saber como tem sido os teus dias.
Os dias passam e eu não consigo compreender como que ele não se apaga em mim, mesmo depois do desdenho.

Hoje me sinto mais branda, estou aprendendo a entrar em sintonia sem precisar de ninguém, estou feliz, esperta... mas é certo que ainda guardo as memórias, mas finalmente nem me lembro das expectativas.

Talvez daqui uns dias... Talvez daqui uns anos... Talvez amanhã... Talvez só no passado.

- Quanta sentimentalidade para um ‘casal’ tão desconectado! Há, inclusive, quem diga que toda esta estória se tornou declaração de um outro casal... ah, mas eu, como libriana típica, sou teimosa e acho que não.. e enquanto isso, vamos continuar a brincadeira, vamos seguindo acordando cedo.

5 comentários:

Estrella Altair disse...

Alegro-me muito de a tua volta ao blog, fazía muito tempo que nao escrebias ninghuma coisa.

Gosto de lo que escrebestes.

Se aquela história com o rapaz acabou-se, tens que te esquecer quanto dantes e começar uma nova vida.... com mas vontades e mas vitalidad ainda.

Muitos beijinhos e até cedo e ben vinda.

Geisa disse...

Muito legal, Aryane. Escreves muito bem e é realmente tudo muito bonito. Parabéns!
beijos

Jamilli disse...

' Quanta sentimentalidade para um ‘casal’ tão desconectado'

JA ATE SEI QM E O CASAL!

LINDO AMIGA! TUDO Q SENTIMOS VC SEMPRE POE NO PAPEL. ADORO

João Lenjob disse...

Texto completo. Acho que dá pra ler pensando, deitado, olhando pro teto e vendo estrelas, naquela noite boa, escurinha, só com um foquinho de luz da lua vindo da janela... Perfeito assim como você. Parabéns!!! Beijos!!!

João Lenjob.

Grimace. disse...

Ainda bem que começou MESMO UMA NOVA VIDA. mais o texto é bom mesmo assim.